quinta-feira, 5 de novembro de 2009

38- Veiculo com equipamento hidráulico

INSPEÇÕES

NO Veículo

 Antes que o veículo se desloque para o local de trabalho, o motorista deverá fazer uma inspeção no equipamento e anotar as irregularidades encontradas em formulário próprio.
No Equipamento
 Verificar se existe vazamento de óleo;
 Verificar se há peças soltas;
 Verificar todos os comandos quanto às suas operações específicas;
 Verificar o nível de óleo do reservatório;
Verificar se o cabo repousa corretamente na polia e não apresenta esmagamento ou tento partido;
 Verificar componentes mecânicos como lança, braço estabilizadores, etc ;
 Verificar conservação das mangueiras;
 Antes de locomover o veículo verifique sempre se as sapatas e a plataforma estão totalmente recolhidas e travadas;
 Verificar se a alavanca da tomada de força não está engatada.

MANUTENÇÃO
É importante que o operador faça semanalmente a seguinte manutenção no equipamento:
 Verificar e limpar o respiro de óleo;
 Engraxar os pontos articulados;
 Verificar e engraxar o cabo do guincho;
 Reapertar pontos de fixação do equipamento sobre o caminhão, inclusive cardan da bomba hidráulica;
 Fazer limpeza geral do equipamento
RECOMENDAÇÕES
 Pessoal sem treinamento não deverá operar equipamentos hidraulicos.
 Quando do encerramento das operações, cuidados devem ser tomados na colocação da lança no seu apoio e, vagarosamente, colocá-la na posição correta.
 Os acessórios foram projetados e instalados para serem utilizados.
 A correta utilização do equipamento proporcionará uma vida maior ao equipamento e segurança ao operador e componentes da equipe.
 Na operação de retirada de poste é indispensável o uso do saca-poste.
 Consulte a tabela de carga sempre que for movimentar, instalar ou retirar cargas.
 Sempre que utilizar o equipamento, as duas sapatas devem estar firmemente apoiadas.
 Nunca opere o equipamento sem as sapatas apoiadas, e ou com apenas uma delas.
 Sempre que estacionar o veículo em ladeira, calce as rodas dianteiras e traseiras
OPERAÇÕES PROIBIDAS
 Não é permitido colocar calços nas sapatas de apoio, para obter maior alcance vertical.
 Não é permitido operar as alavancas de comando no lado da carga.
 Deslocar postes implantado com movimentos oscilatórios, pois esta operação acarretará sérios danos ao sistema de giro, com reflexos no chassis do caminhão e possibilidade de torção da coluna, com riscos de acidentes.
 Arrancar poste sem o saca-poste. Esta operação produz abalos na estrutura do equipamento, nos sistema de ligações, especificamente no braço e trincas em diversos pontos do equipamento, com sérios riscos de acidentes.
 Movimentar o veículo com carga (não apoiada) no guindauto. Esta operação poderá produzir estragos generalizados dos componentes hidráulicos.
 Girar o equipamento em grande velocidade. Esta operação poderá provocar torção na coluna e/ou no chassi do caminhão e abalos generalizados no sistema de giro, com riscos de acidentes.
 Alçar (levantar) pesos acima das capacidades específicas para o guindauto. Esta prática poderá causar torção e/ou ruptura do sistema de lança e extensão da lança, com severos riscos de acidentes.

RISCOS NO TRANSPORTE E COM EQUIPAMENTOS
Neste item abordaremos riscos de acidentes envolvendo transporte de
trabalhadores e a utilização de veículos de serviço e equipamentos.

Citamos
Como exemplo:

a)Veículos a caminho dos locais de trabalho em campo
Para tanto é comum o deslocamento diário dos trabalhadores até os
efetivos pontos de prestação de serviços. Esses deslocamentos expõem os
trabalhadores aos riscos característicos das vias de transporte, sendo muitas
vezes realizados em carroçarias abertas ou em condições inadequadas
potencializando esses riscos.

b)Um agravante, também, da condição de risco é situação em que o
motorista exerce outra função além dessa, ou seja, múltipla função. Como
exemplo, é atribuída ao motorista a função de dirigir e inspecionar a linha, para
encontrar pontos que demandam reparos ou manutenção, tarefas estas
incompatíveis.

c)Veículos e equipamentos para elevação de cargas, cestas aéreas e
cadeiras
Nos serviços de construção, instalação ou manutenção em linhas redes
elétricas e de telefonia nos quais são utilizados cestos aéreos, cadeiras ou
plataformas, além de elevação de cargas (equipamentos, postes) é necessária
a aproximação dos veículos junto às estruturas (postes, torres) e da grua junto
das linhas ou cabos. Nestas operações podem acontecer graves acidentes e
exigem cuidados especiais que vão desde o correto posicionamento do veículo,
o seu adequado travamento e fixação, até a precisa operação da grua, guincho
ou equipamento de elevação.

Além das situações acima descritas, agravam o risco a utilização de
veículos improvisados.