sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Planejamento de serviços

Planejamento do serviço é um dos fatores essenciais para a Prevenção de Acidentes de Trabalho. É durante esta fase que podemos detectar as condições inseguras e os riscos de acidentes que poderão ocorrer durante a realização de uma determinada tarefa a ser executada.

Conhecendo-se as condições inseguras e os riscos, pode-se determinar as medidas descontrole.

Compete ao Supervisor de uma equipe a responsabilidade direta pela realização das tarefas livres de Acidentes do Trabalho, portanto deve planejar cuidadosamente os serviços, de forma a garantir que todos os Métodos e Procedimentos de Segurança sejam adotados, para o controle efetivo dos riscos de acidentes.

Considera-se Supervisor qualquer empregado designado pelo superior hierárquico, como responsável pela execução de um serviço. Logicamente, espera-se que somente sejam indicados com Supervisor, empregados que tenham perfil para atender as exigências da função.

A seguir abordaremos os principais elementos que devem ser observados pelo Supervisor, para o planejamento de um serviço.
"Os serviços somente devem ser atribuídos a empregados que estiverem habilitados e autorizados a executa-los e distribuir as tarefas de acordo com a capacidade técnica de cada um."

Os empregados que forem designados para executar trabalhos em instalações elétricas devem possuir capacitação através de treinamento para as tarefas específicas, para prestar os primeiros socorros em caso de acidentes e utilização de agentes extintores para combater princípios de incêndios.

Não permitir que empregados, mesmo que tecnicamente capacitados, façam serviços de ajustes em equipamentos, dirijam veículos, subam em escadas ou estruturas, durante o período que estiverem fazendo uso de medicamentos que altere o seu comportamento.

O Supervisor deve ter uma visão global do que é de sua incumbência realizar; ele não poderá se deter em minúcias, perdendo a noção do todo.

O Supervisor deve ser capaz de prever os resultados sem subestimar possíveis falhas.

O Supervisor deve fazer a distribuição de tarefas.

O Supervisor deve determinar numero de empregados suficiente para que a tarefa seja realizada com segurança.

O Supervisor deve explicar aos empregados o serviço a ser executado e os resultados desejados.

O Supervisor deve identificar os riscos do serviço sob sua orientação e alertar devidamente seus subordinados sobre os controles desses riscos.

O Supervisor deve transmitir-lhes claramente as Normas e Procedimentos aplicáveis, dedicando especial atenção à execução das tarefas fora da rotina..

O Supervisor deve corrigir as irregularidade e as situações que possam comprometer a Segurança no Trabalho.

Antes de sair para o local de trabalho assegurar-se que os membros da equipe sob sua responsabilidade possuam todos os materiais, ferramentas, equipamentos de proteção individual e coletiva necessários ao serviço e se estão em perfeitas condições de utilização.

Lembrar aos integrantes da equipe que as condições de execução de um serviço nem sempre são as mesmas.

Procurar iniciar o serviço quando existir a total certeza de todos os integrantes da equipe estão conscientes do que devem fazer, de como fazer e quando fazer.

Todo condutor ou equipamento elétrico, somente poderá ser considerado desenergizado, após testado para verificação de ausência de tensão e devidamente aterrado.

Qualquer trabalho a ser efetuado em instalações elétricas energizadas ou que possam ficar acidentalmente sob tensão, somente poderá ser realizado com a utilização de luvas de borracha para eletricista, da classe de tensão compatível com a das instalações, cobertas pelas luvas de proteção mecânica..

O planejamento deve prever os riscos de contato do empregado com os componentes energizados das instalações, para os quais deverão ser adotados protetores isolantes e sinalização delimitando a área de risco.

Especial cautela deve ser destacada na sinalização da área de trabalho, de forma a evitar que pessoas estranhas entre na área de risco. Nos logradouros públicos, caso seja inevitável a obstrução total do passeio, deve-se providenciar a devida sinalização de proteção e orientação para os pedestres.

Iniciar o serviço somente depois de constatado que todas os dispositivos de segurança estão colocados em seus lugares e oferecem segurança efetiva.

Após a realização da tarefa, o supervisor deve reunir a equipe para discutir as dificuldades encontradas durante a realização do serviço, objetivando utilizá-las como experiência, com a finalidade de introduzir melhorias em planejamentos futuros.

Cuidados Preliminares

Alguns cuidados devem ser tomados, antes de se iniciar um serviço em redes aéreas de distribuições.

3.1 Visita ao local

O técnico responsável pela programação dos serviços em linhas energizada acompanhado ou não pelo Encarregado, deve visitar previamente o local de trabalho para que dificuldades como trânsito, obras civis, estacionamento ou qualquer outro evento não previsível venham impedir a execução do serviço.
Na mesma ocasião verifica e anotar os números de identificação dos pontos elétricos anterior e posterior ao poste onde será executado o serviço. Nessa identificação poderá usar numero de zonas aéreas, chaves de faca, chaves fusíveis e outras placas de identificação dos equipamentos instalados no sistema.

3-2 Comunicação com o Órgão de Operação da Distribuição

É imprescindível a existência de rádio transceptor ou qualquer outro meio de comunicação na viatura da turma para melhor atender às necessidades de comunicação com Órgão de Operação da Distribuição.

3.3 Chegando ao local de serviço

Ao chegar no local de serviço, o Técnico e ou Encarregado utilizando telefone, rádio ou outro meio de comunicação disponível, entra em contato com o Órgão da Distribuição e procede da seguinte forma:
O Técnico e ou Encarregado identifica-se, fornecendo nome, tipo de turma e o Setor de Rede correspondente.
Informa sua localização (rua, avenida, estrada etc...)
Informa a natureza do serviço a ser executado e o método de execução (linha energizada)
Fornece os números de identificação dos equipamentos levantados e anotados na visita prévia e que caracterizam o ponto (poste) onde executará os serviços e solicita a confirmação do nome da linha e a classe de tensão que está alimentando o local caracterizado.
Confirmada a identificação da linha supridora, solicita a retirada de serviço e impedimento do seu relé religador (bloqueio do circuito). Conforme o caso, será solicitada a retirada de serviço do dispositivo de religamento automático do religador na subestação ou no próprio circuito.